• Daniel Farias

Um pouco sobre mim

Meu nome é Daniel, e gostaria de dar as boas vindas a você que chegou até aqui. Este é um blog que se encontra dentro de meu site pessoal. Sou formado em Publicidade e Propaganda, e desde 2007 trabalho com fotografia comercial de forma independente. Já tive estúdios, já tive clientes, já fiz muita coisa bacana e das quais me orgulho, mas este blog não é para falar de fotografia nem de publicidade.


Em 2010 um amigo me convidou a dar um curso de extensão em fotografia numa faculdade aqui de Brasília. Despretensiosamente, fui, sem esperar muito, a não ser ajudar a um amigo que precisava de um professor. Me recordo, inclusive, que demorei a responder à dúvida de um aluno que me chamou de "professor". Ele deve ter me chamado umas cinco vezes até que resolveu me chamar pelo nome e, aí sim, o atendi! Acho que foi ali que a ficha caiu de que eu era professor!


Estou criando este blog como parte de uma atividade da disciplina de Cultura e evolução da tecnologia educacional do meu Mestrado em Tecnologias Emergentes em Educação pela Miami University of Science and Education. 


Dez anos atrás, eu possuía um blog que falava de fotografia, publicidade e tecnologia. Com o tempo, acabei abandonando-o, muito em razão dos compromissos de trabalho.


Manter um blog sempre foi um bom exercício reflexivo sobre a profissão, sobre tendências de mercado e as práticas por este adotadas. Quando comecei a dar aulas, dez anos atrás, por um tempo incentivei meus alunos a terem um também. À medida que fui me envolvendo mais com a docência e as turmas foram aumentando, deixei de lado a atividade, pois avaliar blogs de dezenas de alunos demanda bastante tempo.


Ter que criar um blog para a disciplina e fazer um texto sobre blended learning (em português, ensino híbrido), um assunto tão atual, foi uma forma de me sentir conectado às transformações na educação, e compartilhá-las com o público em geral. A maior dificuldade talvez tenha sido procurar escrever em uma linguagem menos acadêmica, que permita a fácil compreensão por pessoas que não têm conhecimento no assunto, compreendendo que a forma é tão importante quanto o conteúdo. Tratando a escrita como uma tecnologia, foi necessário reaprender a usá-la de uma forma mais coloquial, ou seja, menos formal.


Eu sempre tive facilidade e prazer em escrever e em compartilhar conhecimento, e este exercício trouxe isto à tona. Foi realmente muito gostoso pensar esta atividade não como algo feito para um meio estritamente acadêmico, mas sim para a população em geral. A vontade é de mantê-lo e continuar postando aqui sobre educação. Às professoras Tatiana Santos, Zuleica Tani e Elaine Quinelato, o meu muito obrigado!  


Sejam muito bem vindos, e fiquem à vontade para comentar e propor temas para discussões e reflexões. Este espaço é para isto! E, caso queiram conhecer um pouco de meu trabalho como fotógrafo, fiquem à vontade também!


0 visualização
  • Instagram